top of page

V Congresso On-line de PLE
do Grupo Sou Brasil

7 e 8 de junho (sexta e sábado)

V Congresso On-line de PLE.jpg

Palestrantes das sequências didáticas

Sexta-feira, 7 de junho (manhã)

Marcelo Smola Foto.jpg
  • Instagram

Claudio Marcelo Smola (Argentina: Instituto Superior Línguas Vivas)

10h40-10h55 

AS DIFICULDADES QUE APRESENTAM OS HETEROSSEMÃNTICOS OU FALSOS COGNATOS NO ENSINO DE PLE PARA HISPANOFALANTES 

O objetivo da palestra é apresentar aquelas principais dificuldades com as quais os alunos hispanofalantes se deparam no aprendizado do PLE por causa da proximidade entre as línguas. Além disso, irei abordar aquelas “interferências semânticas” que apresentam esses “falsos cognatos” produto da transferência realizada pelo uso próximo da língua mãe (Espanhol), fazendo uso da “interlíngua” empregada pelos alunos (segundo o nível no qual encontram-se), e que com o tempo, poderiam gerar sérias dificuldades no aprendizado da língua alvo, e caso não sejam detectadas a tempo ou não são tomadas medidas corretivas, poderiam provocar transferências linguísticas negativas ou fossilizações nos aprendizes.

Palavras-chave: Falsos cognatos. Proximidade. Interferências. Interlíngua. Transferências.

Vinicius Guarilha Alves (França: Nantes Université)

10h55-11h10 

AS MULHERES BRASILEIRAS NOTÁVEIS

A sequência didática "Mulheres brasileiras Notáveis" é destinada a estudantes básicos de línguas próximas (francês, espanhol, italiano ou romeno) e através do estudo do prétérito perfeito/imperfeito, dos nomes próprios femininos mais comuns no Brasil, das profissões e dos doces brasileiros, aborda a biografia de grandes mulheres brasileiras como Maria Quitéria, Cora Coralina, Tomie Ohtake. Os alunos devem no final dominar o uso do pretérito perfeito e do imperfeito e elaborar a biografia de uma "Mulher Fantástica" de seus países de origem.

Palavras-chave: Mulheres brasileiras fantásticas. Pretérito perfeito. Pretérito imperfeito. Cora Coralina.

Vini foto.jpg
  • Instagram
Luciana Canonico.jpg

Luciana Canonico Cruz (Brasil: Português na Prática)

11h10-11h25 

LEITURA GRADUADA

A importância da leitura graduada como atividade extra para alunos de PLE.

Palavras-chave: Leitura graduada. Portuguese graded readers

  • Instagram

Cássia Maldonado (Argentina: Talleres Tagarelar)

11h25-11h40 

O PODEROSO X

Apresentação dos fonemas da letra X na Língua Portuguesa.

Descubra o impacto e a versatilidade da letra 'X' no português nesta aula! Sou Cássia, especialista em ensino de português para hispanofalantes, e vou explorar como a letra 'X' pode ser empregada para enriquecer sua fluência e precisão no idioma. Prepare-se para uma jornada pelo uso autêntico e variado do 'X' em palavras do dia a dia, melhorando significativamente sua compreensão e expressão no português. Esta apresentação é ideal tanto para estudantes quanto para professores que buscam aprimorar suas habilidades linguísticas e evitar armadilhas comuns na escrita e pronúncia.

Palavras-chave: Letra X. Pronúncia. Fluência.

Cassia Maldonado.jpg
  • Linkedin logo
  • Instagram
  • Site logo
Milla P. Di Ferreira.jpg

Milla Paiva Di Ferreira (Espanha)

11h40-11h55 

VIAGEM SENSORIAL

Trata-se de uma SEQUÊNCIA DIDÁTICA intitulada “Viagem sensorial” que se apresenta como aula introdutória à unidade temática “Pé na estrada” (composta de 5 aulas de 1h30 de duração cada) e se dirige a estudantes adultos de PLE de línguas próximas e médias de nível Avançado, podendo ser ministrada tanto para um aluno como para um grupo. Emprega-se uma abordagem comunicativa na elaboração da proposta, em que a gramática é pincelada de forma contextualizada e indutiva, como meio de comunicação e não um fim para tratar o tema central, tendo como principais objetivos: a) explorar e ampliar o conhecimento do aluno sobre os cinco sentidos através de material autêntico de viagem (artigo do Blog Adventure Club); b) exercitar a compreensão, o posicionamento e a argumentação do aluno de forma específica e transversal; c) propiciar e estimular a produção de mini relatos de forma crítica e reflexiva por meio do resgate de memória afetiva pessoal; d) possibilitar a elaboração de uma mensagem - de texto ou áudio, via WhatsApp - expositiva e argumentativa ao final (como tarefa opcional para casa) com base em questionário realizado oralmente. O conteúdo da proposta didática, regido pelo fio condutor da “viagem sensorial”, desenrola-se nas seguintes atividades:

1. Esquenta - Quebra-gelo de introdução ao tópico que propicia uma sondagem sobre o conhecimento prévio do aluno. 2. Texto - Elemento provocador autêntico, com link de acesso, em que se baseia a criação e o desenvolvimento da sequência didática. Pretende-se que o texto (gatilho) seja lido pelo aluno antes da aula para que haja um preparo adequado (leitura, compreensão, uso do dicionário e anotações) que estimule o seu desempenho; no entanto, também pode ser dispensado, dado que a aula foi pensada igualmente para aquelas situações em que o aluno não pôde fazer a leitura prévia, evitando, assim, o comprometimento da dinâmica sugerida. 3. Bate-papo - Etapa dividia em 6 questões que estimulam a produção oral com nível de dificuldade médio e ascendente: as questões 1 e 2 baseiam-se em informações retiradas do texto (didatização); a questão 3 está amparada em depoimentos pessoais (memória afetiva) e imagens afins; as questões 4, 5 e 6 incentivam o aluno à reflexão e produção oral autônoma. 4. Mini relato - Viagem com sentido e emoção - Etapa de maior complexidade (ápice), em que o aluno deverá fazer uma exposição crítica e reflexiva sobre aspectos transversais inerentes ao tema central. 5. Questionário - Destino sensorial “surpresa” - Etapa que descende o nível de dificuldade e transita para uma compreensão e produção oral leve e dinâmica em torno de um questionário que conclui a sequência didática e prepara o aluno para a última atividade, que é opcional. 6. Tarefa - Etapa final e opcional que permite ao aluno pôr em prática o que foi abordado em sala de aula por meio da produção escrita ou oral de uma mensagem de WhatsApp (convite expositivo e argumentativo) para a avaliação e feedback do professor.

Palavras-chave: Português língua estrangeira. Nível avançado. Abordagem comunicativa. Viagem. Sentidos.

Sexta-feira, 7 de junho (tarde)

Uiara Nascimento.jpg

Uiara do Nascimento Nunes (Brasil: Bem_te_vi PLE)

15h-15h15

TÁ NA REDE SOCIAL!

Baseada na proposta curricular de ensino de português como LE para falantes espanhol como LM (FUNAG, xx), propõe-se uma sequência didática que, no contexto das redes sociais, objetiva a apresentação de verbos de rotina conjugados no presente do indicativo, assim como de marcadores temporais de frequência associados a esse tempo verbal. Além da apresentação do conteúdo léxico-gramatical, a sequência didática mencionada possibilita a prática das 4 habilidades comunicativas em situações próximas à realidade dos estudantes do século XXI.

Palavras-chave: Rotina. Redes sociais. Presente do indicativo.

Roberto de Farias David Junior (Brasil: Português com Roberto) 

15h15-15h30

DA LEITURA DE MEMES À PRODUÇÃO DE POSTS: UMA PROPOSTA DE SEQUÊNCIA DIDÁTICA PARA ENSINO DA INJUNÇÃO E DO IMPERATIVO

O objetivo da sequência didática apresentada é trabalhar, com alunos de línguas próximas e médias, a tipologia injuntiva e o imperativo formal em português brasileiro. O contexto de trabalho é o de aulas particulares individuais de português para alunos de nível básico. O ponto de partida é a leitura de textos multimodais do gênero "meme", por suas características fundamentais (concisão, presença de elementos de diferentes semioses, humor). A partir daí, propõe-se trabalhar com a formação do imperativo "formal" - isto é, aquele usado em ambientes formais e especialmente na mídia. Uma vez trabalhados os aspectos formais do modo imperativo, passa-se ao trabalho com textos injuntivos, em especial, as receitas e os posts de instruções e conselhos em redes sociais. Após o trabalho de leitura desses gêneros, propõe-se concluir a sequência didática com uma atividade de elaboração de um post para redes sociais, com tema escolhido e texto escrito pelo/a aluno/a. Com essa atividade, o/a estudante passa de leitor/a a produtor/a de textos em língua portuguesa, reconhecendo-se como usuário/a da língua e recebendo retorno social do seu estudo e trabalho.

Palavras-chave: Multimodalidade. Tipologia Injuntiva. Modo Imperativo. Ensino de Gramática. Leitura e produção textual.

Foto de perfil.png
  • Instagram
IMG_20240130_163320.jpg

Angélica S. Angelo (México: Casa do Brasil)

15h30-15h45

A LÍNGUA PRETUGUESA

Nesta sequência didática, é apresentado o conceito de Língua Pretuguesa, termo cunhado por Lélia Gonzalez. E por meio de situações nas quais é possível identificar a africanização da língua portuguesa, os alunos poderão aprender e refletir sobre formação e desenvolvimento do idioma no Brasil.

Palavras-chave: Português. Língua Portuguesa. Cultura Afro-Brasileira.

  • Instagram

Mariana Godoy Martins (Brasil: Autônoma)

16h-16h15

GOOGLE DOODLES INTERATIVOS COMO RECURSO DIDÁTICO NO ENSINO DE PLA PARA HISPANOFALANTES 

A palestra proposta terá como objetivo apresentar um recurso digital - a saber, Google Doodles - e de que forma ele pode vir a ser utilizado nas aulas de línguas, com foco no ensino de Português como Língua Adicional. Com suporte na teoria dos multiletramentos (Cope; Kalantzis, 2013; Rojo, 2009) e da multimodalidade em materiais de ensino (Van Leeuwen, 2011), além de fundamentos da didatização de materiais autênticos (Lemeunier, 2016; Tomlinson, 2010), será apresentada uma proposta didática para ensino de PLA para hispanofalantes de nível intermediário a avançado. Utiliza-se como base um material autêntico que pode contribuir no desenvolvimento de aulas online, híbridas ou presenciais através do trabalho com o gênero gameplay e com produção audiovisual. A proposta de didatizar um material originalmente não didático dá ao professor a possibilidade de criação de seus próprios materiais didáticos para uso em conjunto com outros já existentes ou de forma independente. Com isso, busca-se, em alguma medida, desmistificar o desenvolvimento de materiais autorais para o ensino de línguas, mostrando que diferentes recursos, mesmo aqueles não desenvolvidos para propósitos educacionais, podem resultar em atividades produtivas e consonantes com os objetivos não só do docente, mas também dos discentes.

Palavras-chave: Multiletramentos e multimodalidade no ensino de línguas. Didatização de materiais autênticos. Ensino-aprendizagem de Português Língua Adicional. Google Doodles.

FotoAtual_MGM.jpg
Captura de tela 2024-05-14 185216.png
Carolina Coelho Aragon.jpeg

Rebecka Diniz Cordeiro (Brasil: UFPB) e Profa. Dra. Carolina Coelho Aragon (Brasil: PLEI-UFPB)

16h15-16h30

A FONÉTICA E A FONOLOGIA NO ENSINO DE PORTUGUÊS COMO LÍNGUA ADICIONAL

O material apresentado é um e-book que foi pensado para os professores(as) de Português do Brasil como Língua Adicional. Esse material inclui propostas de exercícios e plataformas digitais, bem como dicas para os professores(as) prepararem aulas produtivas e dinâmicas e, assim, capacitar os alunos para a parte oral do exame Celpe-Bras.

Palavras-chave: Português como Língua Adicional (PLA). Formação docente. Material Didático para Professores de PLA.

Richard Brunel Matias e Valimir Luiz Ross (Argentina: Universidade Nacional de Córdoba) 

16h30-16h45

CONTRIBUIÇÕES DE UMA SEQUÊNCIA DIDÁTICA COM O GÊNERO TEXTUAL MÚSICA NO ENSINO E APRENDIZAGEM DE PLE

Embora haja o reconhecimento consagrado da importância da utilização de textos de músicas como material didático no ensino de línguas estrangeiras, sua atual abordagem como recurso autêntico ainda é bastante precária. Observamos que ela está marcada por tabus metodológicos e pautada num ensino tradicional, dissociada de questões sociais e emocionais relevantes que propiciam o interesse por parte dos estudantes. Diante dessa realidade, com esta apresentação, temos como objetivo mostrar aos estudantes de cursos de formação de professores de português uma sequência com atividades redondas (início, meio e final), a partir do texto da música Deixaria tudo, interpretada por Lauana Prado. Quanto à metodologia de apresentação, pretende-se mostrar uma bateria de atividades dinâmicas e articuladas, visando o léxico, os componentes de fonética/fonologia, a sensibilização auditiva e a produção oral. Acreditamos que este trabalho motivará colegas professores em busca da otimização de uma aprendizagem significativa e lúdica, servindo de subsídio para a elaboração de sequências didáticas inovadoras a partir do gênero textual música no ensino de PLE, tornando assim o processo de ensino-aprendizagem mais motivante, participativo e eficaz.

Palavras-chave: Sequência didática. Sensibilização auditiva. Produção oral

unnamed_edited.jpg
Captura de tela 2024-05-14 190025.png

Luiz Roos é professor de Fonética e Fonologia na Facultad de Lenguas (Universidad Nacional de Córdoba), na Facultad de Humanidades y Ciencias de la Educación (Universidad Nacional de La Plata) e no Instituto de Enseñanza Superior en Lenguas Vivas "Juan Ramón Fernández" (Buenos Aires) - Argentina.

Eliane Vitorino de Moura Oliveira (Brasil: Universidade Federal de Alagoas)

16h45-17h

A REVOLTA DO SAMBA: HISTÓRIA E CULTURA PARA ENSINAR PORTUGUÊS

Apresentarei duas Unidades Didáticas, no modelo proposto no PPPLE, que se aproximam e se complementam e auxiliam professores e professoras no ensino de Português para falantes de línguas médias e distantes, utilizando como mote um fato histório - A revolta dos Malês - e uma expressão cultural genuinamente brasileira, o samba.

Palavras-chave: Unidades Didáticas. Ensino de Português para Estrangeiros. Ensino contextualizado. Abordagem Intercultural.

Eliane_Oliveira.jpg
  • Instagram

Sábado, 8 de junho (manhã)

Foto para o evento.jpeg

Alexandre Ferreira Martins (Japão: Aichi Prefectural University)

10h-10h15

HERANÇAS FAMILIARES EM PLA PARA JAPONESES: UMA SEQUÊNCIA DIDÁTICA BASEADA EM GÊNEROS DO DISCURSO 

Esta sequência didática aborda as heranças familiares de brasileiros e japoneses, explorando sua relação com os processos migratórios compartilhados por ambos os países. Implementada na Universidade da Província de Aichi, situada em uma região com uma considerável presença de brasileiros e descendentes de japoneses, o objetivo dessa sequência é estabelecer uma maior interação dos estudantes universitários com a comunidade local por meio da língua portuguesa. A estrutura da unidade didática elaborara para esse fim, fundamentada nos gêneros discursivos (Bakhtin, 1984), visa a capacitar os alunos para conduzir entrevistas junto à comunidade, explorando diversos gêneros de discurso escritos. O resultado esperado foi o da criação de um mural bilíngue (em português e japonês) contendo histórias de vida da comunidade nipo-brasileira na região de Aichi, no Japão.

Palavras-chave: Heranças Familiares. Imigração. Gêneros do discurso.

Bassam Antoun (Líbano: Instituto Guimarães Rosa) |

10h15-10h30

O USO DE MEMES NA SALA DE AULA

O uso de memes na sala de aula é uma abordagem inovadora para engajar os alunos. Esse gênero popular entre as gerações Y, Z e Alpha simplifica assuntos complexos, estimula a interpretação de texto e promove discussões em sala de aula.

Palavras-chave: Memes, Digital, Interpretação, Discussão, Meme Didático.

Bassan.jpg
  • Instagram
Carregando.png

Adriana Oliveira (Estados Unidos: Skema Business School)

10h30-10h45

JOGOS LINGUÍSTICOS

Aproveitando que a maioria dos alunos são franceses (Olimpíadas de Paris) propusemos que os alunos criassem jogos para se aprender aprender português. E o resultados foi incrível.

Palavras-chave: Jogos linguísticos. Movimento. Grupos. Aquisição novo idioma.

Bárbara do Vale Reis de Sousa e Grace Alves (Portugal: Speak Brazil)

11h-11h15

LIVRO VAMOS PRATICAR: MATERIAL DIDÁTICO DE APOIO PARA AULAS DE GRAMÁTICA E DE VOCABULÁRIO DO NÍVEL A1 

Nesse encontro vamos trazer um breve panorama sobre a origem, o processo de criação e a produção do livro Vamos Praticar com o intuito de refletirmos sobre a trajetória de elaboração de um material didático. Vamos refletir sobre o papel dos exercícios de gramática e de vocabulário durante e/ou após às aulas. E vamos mostrar na prática como nós fazemos uso dos exercícios durante a elaboração de nossas sequências didáticas.

Palavras-chave: Material didático. Exercícios de vocabulário. Gramática

IMG_3517.jpeg
  • Instagram
Denise foto jpg.jpg

Denise Coronha (Rio de Janeiro: Rio Total Consultoria) 

11h15-11h30

DO's & DON'Ts

Quando o ensino de Português acontece no âmbito das empresas, a produtividade das aulas ganha uma relevância própria. Neste cenário, uma sequência didática bem estruturada engaja e facilita o aprendizado de profissionais que não têm tempo a perder. 
O objetivo desta apresentação é compartilhar uma sequência didática (seguindo alguns do’s & don’ts) dada recentemente a uma australiana de nível iniciante, expatriada no Rio de Janeiro, tendo como foco a aprendizagem real do Português.  
 

Palavras-chave: PLE para negócios. Clareza. Execução simples. Customização. Parceria.  Resultado.

Foto recente - Cristiane Vieira Ribeiro de Oliveira.jpeg

Cristiane Vieira Ribeiro de Oliveira (Brasil: Autônoma)

11h45-12h

MADUREIRA TEM GULOSEIMAS: ENTRE CAMELÔS E O SUBÚRBIO DO RIO DE JANEIRO (nível intermediário)

A sequência didática intitulada Madureira tem guloseimas: entre camelôs e o subúrbio do Rio de Janeiro tem por tema o uso de materiais autênticos de gêneros textuais como crônica, música e jornal relacionados a questões presentes na sociedade brasileira e pertinentes de reflexão no ensino-aprendizagem de PLE. Dessa forma, pensa a variedade de doces brasileiros inseridos, de forma característica, no dia a dia dos brasileiros como passatempos do paladar em meio às longas viagens nos transportes públicos e no trânsito demorado das áreas urbanas, refletindo sobre os personagens que geralmente os vendem: os camelôs/ambulantes e apresentando o bairro de Madureira, com sua história e características, como um símbolo desse subúrbio, em que os aspectos debatidos anteriormente podem ser vistos. Assim, tem-se, como pano de fundo, auxiliar os alunos nas questões linguístico-discursivas e culturais, para se analisar as produções de sentidos construídas pelos usos de adjetivos ao longo dos textos sugeridos como material de trabalho, por meio de atividades de interpretação textual, visando também o trabalho com o tópico gramatical de graus do adjetivo. Esse processo tem por objetivo apresentar possibilidades e usos dos adjetivos na linguagem, passando pelas habilidades de escuta, fala, leitura e escrita.
 

Palavras-chave: PLE. Adjetivos. Grau dos adjetivos. Madureira. Rio de Janeiro

Sábado, 8 de junho (tarde)

André.jpg

André Luiz Nogueira de Sousa (Colômbia: Colégio Marymount Bogotá) |

15h30-15h45

EXPLORANDO O ALFABETO E A LÍNGUA DE SINAIS LIBRAS

A ideia da sequência didática é analisar e assimilar a escrita e o som do alfabeto em português, utilizando-se da Língua Brasileira de Sinais (LIBRAS). O produto final se relaciona com uma canção executada nas duas línguas. Essa sequência foi aplicada em um grupo de estudantes de 10 anos em um colégio particular em Bogotá (Colômbia).
 

Palavras-chave: Alfabeto, Língua de Sinais, Crianças

Andréia Simon Mora (São Paulo: Estou Refugiado)

15h45-16h

CONHECENDO SÃO PAULO

A sequência didática Conhecendo São Paulo visa incentivar os alunos a conhecer os bairros e lugares importantes da cidade de São Paulo como forma de socialização e integração com brasileiros, bem como inserir atividades de lazer e bem-estar em suas rotinas, facilitando a adaptação em sua nova cidade de moradia.

Palavras-chave: São Paulo. Bairros. Lazer. Integração. Socialização.

Andreia Simon Mora.jpg
Luhema Foto.jpg

Luhema Ueti (São Paulo: USP/Faculdade Impacta)

16h-16h15

O CELPE-BRAS NAS AULAS DE PLAc

Para revalidar o diploma ou ter um comprovante de língua portuguesa para pedido de naturalização, em muitos casos, é necessário ter o Certificado de Proficiência em Língua Portuguesa (Celpe-Bras). Deste modo, migrantes de crise e pessoas em situação de refúgio realizam o exame para receber um certificado, porém muitos não conhecem a estrutura do exame. Esta sequência didática tem como objetivo apresentar a estrutura da Parte Escrita do Celpe-Bras para que o migrante consiga produzir as tarefas durante a aplicação da prova.
 

Palavras-chave: Celpe-Bras. PLAc. Parte escrita.

Cleyde Soares Rocha (Brasil: CEFET/MG)

16h15-16h30

SEQUÊNCIA DIDÁTICA SOBRE O SUS

Lecionando para alunos do Plac, percebi a necessidade dos estudantes em conhecer mais sobre nosso sistema único de saúde, e como funciona esse sistema. Nessa perspectiva elaborei uma sequência didática que pudesse facilitar a compreensão dos nossos discentes sobre o SUS, e também outras áreas que o SUS abrange. Essa sequência didática foi trabalhada em sala de aula com os alunos, e também realizamos uma aula prática de confecção do cartão do SUS, e orientações que foram repassadas pelos profissionais da saúde aos nossos estudantes.

Palavras-chave: Sequência didática. SUS. Aprendizagem coletiva.

Cleyde.jpg
Jessica_edited_edited.jpg
Foto Isabela Costa.jpg

Jéssica Caroline Pessoa dos Santos (Brasil: UFRJ e Foco Br) e Isabela da Costa (Brasil)

16h45-17h

ZIRALDO VIVE! FALANDO DA INFÂNCIA COM O MENINO MALUQUINHO (níveis básico e intermediário)

Antes de iniciar a atividade, como elemento de pré-leitura, os alunos vão ver um vídeo e sobre o Ziraldo falando de onde surgiu a ideia de criar o Menino Maluquinho, e assim, praticar a escuta e a conversação (15 min). Leitura da obra: 1h a 2h com a prática dos tempos no passado (pretérito perfeito e imperfeito) com a leitura do Menino Maluquinho. A atividade foi pensada para que os alunos pudessem ler o livro inteiro em uma ou duas aulas de no máximo 3 horas adquirindo vocabulário, aprendendo os tempos verbais no passado de maneira contrastiva e também conversando sobre a sua vida infantil. Na pós-leitura, exercício de produção escrita de um blog de memórias descrevendo a infância para ser debatida na próxima aula.

 

Palavras-chave: Ziraldo. Menino Maluquinho. Tempos do passado. Português como Língua Estrangeira.

Mitsue Siqueira (Canadá e França)

17h-17h15

BANDEIRAS E ESTADOS BRASILEIROS

Com base em um material fonte (kit de bandeiras) composto por formas geométricas de vários tamanhos e cores, os alunos são guiados a montar as bandeiras de cada estado brasileiro e a explorar o vocabulário e as referências culturais relacionadas a cada região do Brasil.

Palavras-chave: Bandeiras. Estados brasileiros. Formas. Cores

Mitsue Foto.jpg.jfif
Gabriela Rossatto foto 2.png
  • Instagram

Gabriela Rossatto Franco (Brasil: Avenues the World School)

17h15-17h30

PORTUGUÊS EM QUADRINHOS: UM OLHAR PLURICÊNTRICO

Essa sequência didática visa ao ensino de português de uma perspectiva pluricêntrica, permitindo aos alunos o contato com a língua e as culturas dos países lusófonos. Por meio da leitura do livro em quadrinhos "Púrpura", de Pedro Cirne, a proposta explora elementos e características do gênero história em quadrinhos, aspectos linguísticos (pronomes, léxico, tempos verbais) e conhecimentos gerais sobre os países lusófonos e as variações da língua portuguesa. Como produto final, os alunos escrevem seus próprios contos inspirados em um país lusófono. Pode-se, ainda, encorajá-los a converterem as histórias escritas em animações a fim de trabalhar o uso da tecnologia em sala de aula.
 

Palavras-chave: Lusofonia. Pluricentrismo. História em quadrinhos.

Modelo híbrido

Juliana Lopes.jpg
  • Instagram
Vitória Nascimento.jpg

Juliana Melo Lopes e Vitória Barbosa do Nascimento (Brasil: Universidade Federal da Paraíba)

APRENDENDO ATRAVÉS DA AÇÃO: DESENVOLVENDO A COMPETÊNCIA COMUNICATIVA A PARTIR DA REALIZAÇÃO DE COMANDOS 

A sequência didática que vamos compartilhar, remete-se a prática de 6 aulas, nas quais adotou-se a abordagem comunicativa-intercultural (Almeida Filho, 1993) e a abordagem acional (QCER, 2001. p. 29). Nesse cenário, as aulas foram estruturadas com os seguintes assuntos/ações: interculturalidade; aspectos fonológicos; pré-comunicação e prática. Aplicando a abordagem acional e o critério de pré-comunicação de Janowska (2014), os alunos são orientados a desenvolverem um roteiro de interação, a partir de um comando/contexto de conversação previamente apresentado e discutido com a turma. Para a prática, os alunos devem utilizar suas habilidades orais, pondo em ação aquilo que haviam pensado na atividade de pré-comunicação, em uma situação que envolva mais participantes e objetiva um fim específico. Ao fim da atuação, os alunos devem compartilhar essa experiência com a turma. Orientador do trabalho: professor Doutor José Wellisten Abreu de Souza.
 

Palavras-chave: Abordagem Comunicativa-intercultural. Perspectiva acional. Interculturalidade.

Hugneide Souza de Oliveira (Uruguai: Instituto Souza), Cintia Loy Armendaris Rodriguez e Aline Gisselle Pereira Gómez

FOLCLORE BRASILEIRO: UMA VIAGEM ATRAVÉS DAS PARLENDAS

 

A abordagem de alguns temas no ensino de PLE parecem estar estereotipados na educação, pensando que as temáticas sempre são as mesmas em diferentes materiais. Deste modo, buscamos apresentar outros pontos da cultura. Nossa sequência didática, desenhada e elaborada por três professoras de diferentes contextos do Uruguai, trabalha uma das principais temáticas da cultura brasileira que é o folclore. O objetivo principal é apresentar a parlenda como parte dessa cultura, saindo das tradicionais atividades com as lendas e os seus personagens. Além das rimas que as conectam, as atividades se relacionam por meio de vocabulários de animais. O público-alvo seriam crianças de oito a dez anos, que tenham uma base do português, onde já podem reconhecer aspectos da língua e culturais do seu próprio país. Utilizando um material ilustrativo e pensado para uma abordagem mais dinâmica, prioriza o uso da oralidade, leitura e escrita. O material foi feito para ser trabalhado em uma semana aproximadamente.
 

Palavras-chave: Folclore brasileiro. Parlendas. Vocabulário de animais.

20240521_183124.jpg
IMG-20240522-WA0011.jpg
IMG-20240522-WA0060.jpg
Maria Isabel Alves de Morais Foto.jpg
Carolina Coelho Aragon.jpeg

Maria Isabel Alves de Morais e Profa. Dra. Carolina Coelho Aragon (Brasil: PLEI-UFPB)

ENSINANDO PARA O ESPELHO: O ESTUDANTE EM FOCO

Este trabalho, pensado a partir de uma indagação acerca da existência de um cenário de escassez no âmbito de materiais didáticos (MD) na área de Português como Língua Adicional (PLA) fomentada pelas discussões presentes em Mendes (2012) e Santos (2020), visa voltar o olhar de professores e de pesquisadores de PLA para a heterogeneidade presente nessa área como sendo a principal responsável pela existência dessa escassez. Diante do exposto, este trabalho foca no público de estudantes autodidatas (Litwin, 2001), sob a ótica de existirem estudantes que são e estudantes que estão autodidatas em determinados momentos, seja por necessidades específicas ou por escolha própria. Com isso, buscamos desenvolver uma proposta de unidade didática visando refletir sobre as necessidades e possibilidades existentes para esse público. Desse modo, a unidade didática foi criada, seguindo os processos metodológicos de criação e adaptação propostos por Leffa (2008) e Santos (2020), para ilustrar a organização do MD intitulado “Ensinando para o Espelho”, construído a partir de uma perspectiva intercultural baseada nos estudos de Mendes (2015) e Almeida Filho (2002). O MD busca desenvolver habilidades de leitura, escrita, escuta e fala, a partir da proposição de diferentes exercícios que visam abarcar cada uma delas. Assim, o trabalho também apresenta questionamentos acerca de quais seriam as melhores propostas de exercícios e conteúdos para esse público, bem como qual seria a melhor organização para que o material seja de fato proveitoso para os estudantes autodidatas.
 

Palavras-chave: Português como Língua Adicional. Estudantes autodidatas. Produção de Material Didático.

Bruna Chacon Kihara (Brasil)

O USO DE MATERIAIS AUTÊNTICOS PARA CURSOS DE NÍVEL BÁSICO DE PORTUGUÊS COMO LÍNGUA DE ACOLHIMENTO

 

Este trabalho é um relato de experiência onde eu gostaria de compartilhar e levantar reflexões acerca das vantagens observadas da utilização de materiais autênticos em cursos de Português como Língua de Acolhimento, ministrados em abrigos da Operação Acolhida, em Boa Vista - Roraima, onde, atualmente, moram inúmeros imigrantes e refugiados do nosso país vizinho, Venezuela. De acordo com Berber Sardinha (2004), um texto autêntico é aquele que inicialmente não foi elaborado com a finalidade de ensinar um idioma, porém, possui todos os defeitos e virtudes da vida real, dessa forma, usar textos autênticos dentro de um contexto de ensino-aprendizagem pode favorecer no desenvolvimento das mais variadas competências, para que os aprendizes possam se tornar proficientes nas diversas situações comunicativas reais. O que vai de encontro com um dos objetivos de se ensinar uma língua no contexto de língua de acolhimento, que é fazer com que esses estudantes aprendam o idioma para o contexto real da língua nas situações comunicativas diversas do seu dia a dia.
 

Palavras-chave: PLAc. Materiais Autênticos. Ensino de Português.

Bruna Chacon Foto.jpeg
LidyaneSantosdeLima.jpg
Guilherme.jpg
  • Instagram
Thiago.jpg

Lidyane Santos de Lima; Guilherme da Silva Lima; Thiago Mendes dos Santos (Brasil: Programa Linguístico-cultural para Estudantes Internacionais)

LEITURA CULTURAL: A INTERCULTURALIDADE ATRAVÉS DA CONTAÇÃO DE MITOS E LENDAS NA SALA DE AULA DE PLA 

A presente sequência didática visa incitar a leitura em português de maneira dinâmica com o auxílio de textos remetentes à contação de mitos e lendas presentes no folclore brasileiro. Como público alvo, pretendemos abranger alunos que vão desde o nível A2, considerados básicos, aos demais níveis intermediários, pensando que, no decorrer da aplicação da sequência, ofereceríamos instrumentos para a evolução do nível de proficiência de todos esses alunos. Para o desenvolvimento deste trabalho, com a intenção de promover o uso efetivo da literatura nas aulas de PLA, nos norteamos na sequência básica proposta por Cosson (2006), adaptando-a às necessidades específicas apresentadas por nossos alunos estrangeiros. Para iniciar a sequência, será feita uma roda de contação de histórias do folclore brasileiro por parte do docente mediador, sendo utilizados elementos multissensoriais, ou seja, efeitos sonoros e visuais para que haja uma certa aproximação dos alunos com as lendas contadas. Ao final de cada história, será aberto um espaço para que os alunos, caso queiram, intervenham acrescentando mitos e lendas de seus respectivos países. Em seguida, os docentes proporão uma atividade de produção criativa, em que a turma será dividida em grupos e cada um destes receberá um panfleto informativo descrevendo um personagem folclórico brasileiro, para que, a partir das informações obtidas no material, eles possam construir um cartaz compondo as principais características dos personagens e, ao final, apresentá-lo para a turma oralmente. Partindo para exposição dos textos escritos, os trabalharemos inicialmente com o intermédio de histórias em quadrinhos, levando em consideração que os elementos visuais presentes neste gênero textual têm potencial para facilitar a leitura e compreensão dos alunos estrangeiros. Por conseguinte, passaremos a utilizar textos sem recursos visuais com o propósito de desenvolver os processos de leitura dos discentes. Por fim, os professores solicitarão a escrita, em português, de uma lenda do respectivo país de cada aluno, para que, no final da sequência de aulas, ela seja apresentada em formato de contação de histórias por parte da turma.
 

Palavras-chave: Mitos e lendas. Histórias em quadrinhos. Contação de histórias. Interculturalidade. Leitura.

Cássia Maldonado (Argentina: Talleres Tagarelar)

AFASTE-SE DO PORTUNHOL

 

A importância de usar o vocabulário correto para uma comunicação eficaz com Brasil.

Quer se comunicar eficazmente com o Brasil? Usar o vocabulário correto é essencial. Sou Cássia, professora de português para falantes de espanhol, e defendo a importância de incentivar o uso apropriado da língua e promover o ensino do português de uma forma autêntica. A aula "AFASTE-SE DO PORTUNHOL! " é voltada para estudantes e professores de português. Nela, mostrarei como empregar palavras de maneira natural na sociedade brasileira, melhorando assim sua compreensão e capacidade de expressão no português de forma clara e precisa.
 

Palavras-chave: Fluência. Afastar. Aproximar

Cassia Maldonado 2.jpg
  • Linkedin logo
  • Instagram
  • Site logo
Eliana.jpg

Eliana Barbosa dos Santos (Brasil: UFRJ)

PORTUGUÊS COMO LÍNGUA ADICIONAL: METODOLOGIAS ATIVAS E TECNOLOGIAS DIGITAIS. 

Os estudantes escolhem o assunto de sua preferência e fazem um resumo em tópicos do que gostariam de informar, pesquisam e desenvolvem um texto de até 100 palavras (10 linhas). O professor explica e exemplifica várias tipos de textos e as suas características e propósitos. Ao final os estudantes escolherão a forma de divulgação (jornal, Blog, e-book, …)
 

Palavras-chave: Português Língua Adicional. Metodologias Ativas. Tecnologias Digitais.

Diego Fernando de Oliveira (Brasil: Autônomo)

ERA UMA VEZ 

 

A proposta de sequência didática intitulada “Era uma vez” tem como objetivo principal favorecer o desenvolvimento da proficiência linguística em tarefas narrativas de alunos adultos de português língua adicional, cujo nível pode ser classificado entre B1 e C1, segundo descritores do Quadro Comum Europeu. Para isso, esta sequência didática compreende três partes principais: na primeira etapa, averigua-se o conhecimento prévio do aluno e estimula-se a leitura e a conversação centradas na temática dos contos de fadas; na segunda etapa, exploram-se aspectos estruturais da língua portuguesa voltados aos usos do pretérito perfeito, imperfeito e mais-que-perfeito do indicativo e sua aplicação ao narrar eventos passados; na terceira e última etapa, explora-se vocabulário especializado e desenvolve-se tarefas escritas a partir de propostas alternativas aos finais de contos tradicionais. A presente proposta se justifica pela necessidade de desenvolvimento de espaços de ensino-aprendizagem acolhedores e que valorizem aspectos interculturais entre professores e alunos. Espera-se aprimorar a proficiência dos alunos no que concerne sua habilidade em narrar fatos passados com precisão, assim como estimular o sentimento coletivo de pertencimento, valorizando artefatos culturais compartilhados entre os sujeitos envolvidos.
 

Palavras-chave: Contos de fadas. Pretérito do indicativo. Português Língua Adicional.

Foto.jpg

Maria Eduarda Sousa Santos (Brasil: Autônoma)

PROMOVENDO O LETRAMENTO VISUAL EM AULAS DE PLE: O ENSINO DA POESIA VISUAL BRASILEIRA 

 

Com o avanço das novas tecnologias digitais, a produção e distribuição de imagens foi altamente facilitada. Como consequência, os leitores deste século necessitam lê-las para participar efetivamente das situações comunicativas em que elas estão presentes. Para Metros (2008), tal situação demanda o desenvolvimento do letramento visual, que corresponde à habilidade de decodificar, interpretar e produzir imagens e/ou mensagens visuais. Nesse sentido, esta sequência didática voltada para o nível intermediário busca promover o letramento visual de alunos inseridos no contexto de ensino-aprendizagem de Português como Língua Estrangeira (PLE). Para tanto, produzimos uma sequência focada na leitura e produção de poesias visuais, as quais unem o texto verbal e a imagem para expressar sentidos. No intuito de elaborá-la, seguimos o modelo de sequência didática proposto por Swiderski e Costa-Hubes (2008), que é subdividido em: apresentação da situação de comunicação, módulo de reconhecimento, produção inicial, módulo de atividade, produção final e circulação do gênero. A partir disso, primeiramente contextualizamos a poesia visual, fomentamos a reflexão inicial dos alunos, apresentamos exercícios de interpretação e por fim estimulamos a produção e compartilhamento dos textos. Além de permitir a aprendizagem da língua portuguesa em si, esta sequência didática também é uma forma de contribuir para o letramento visual dos alunos, ajudando-os a treinar suas habilidades de leitura, análise e produção de textos visuais.
 

Palavras-chave: Letramento visual. Poesia visual. Produção de texto visual.

Eduarda Santos foto.jpg

Atualmente é Mestranda em Letras/Linguística pela Universidade Estadual do Piauí (UESPI). É formada em Letras Inglês pela Universidade Federal do Piauí (UFPI), onde foi professora bolsista do Idiomas sem Fronteiras (IsF) e desenvolveu pesquisas através da Iniciação Científica Voluntária (ICV) e do Programa Institucional de Bolsas de Iniciação Científica (PIBIC). 

image2.jpeg

Fábio de Freitas Santana (Brasil: Centro de Línguas) | ENSINO DE EXPRESSÕES IDIOMÁTICAS POR MEIO DO GÊNERO CHARGE: MATERIAL DIDÁTICO PARA PORTUGUÊS LÍNGUA ESTRANGEIRA

 

A sequência didática surge como parte do meu Trabalho de Conclusão de Curso, TCC, do curso de Letras. A ideia é trabalhar com o ensino de expressões idiomáticas brasileiras e problematizar algumas, pois sabemos que muitas surgem em contextos machistas, racistas, homofóbicos etc. O objetivo é trabalhar parte da cultura brasileira e fazer uma discussão sobre a língua enquanto instrumento de poder e exclusão..
 

Palavras-chave: Português língua estrangeira. Material didático. Charge.

bottom of page